sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

O que é Matriz energética

Uma m atriz energética é o balanço das fontes de energia utilizadas por uma sociedade e das formas como são utilizadas, feito anualmente pelo governo de cada país. O nome foi emprestado da matemática, para a qual uma matriz é um conjunto de elementos que ordenamos e com os quais trabalhamos para buscar um resultado. A matriz é calculada para acompanhar as necessidades de energia da sociedade e planejar a curto médio e longo prazos para que ela não falte.
Para montar e calcular uma matriz de energia, é indispensável medir as diversas fontes de energia por uma única unidade matemática. Para isso utiliza-se a famosa unidade caloria (cal), a mesma que é empregada para medir o teor calórico de alimentos. Uma caloria equivale a quantidade de energia térmica necessária para que uma grama de água passe de 14,5 graus C. para 15,5 graus C.
Uma caloria, entretanto, é algo minúsculo quando se quer medir o total de energia consumida por países e pelo mundo inteiro. Para isso usa-se uma unidade que é a tonelada equivalente de petróleo (tep), que é a energia térmica que essa quantidade de petróleo produz: 10 milhões de calorias.
Para converter as quantidades de todas as fontes de energia em teps, medem-se quantas calorias são liberadas por determinado combustível e converte-se o valor para seu equivalente em calorias contidas em um barril de petróleo. Uma tep é capaz de elevar de 14,5 graus C. para 15,5 graus C. a temperatura de 10 mil toneladas de água, o que daria para encher quatro piscinas olímpicas. No caso da energia da água e dos ventos, a conversão é feita pelas calorias produzidas por 1 kilowatt-hora de eletricidade.
O tep é a medida mais utilizada para medir matrizes de energia, e você vai encontrá-la em uso em diversos gráficos e tabelas. Mas essa forma de medição também sofre algumas contestações, pois a conversão funciona melhor para fontes de energia combustíveis, que queima a matéria-prima e produzem calor. Já no caso da eletricidade, considera-se por convenção que o trabalho de transferir o equivalente a 1 wattt por uma hora corresponde ao gasto energético de 860 calorias. Assim, há quem confirme que, ao montar uma matriz usando a tep como referência, acaba se subestimando a contribuição do setor elétrico e beneficiando os setores de petróleo e biocombustíveis. Isso tenderia, nas comparações, a superdimensionar as matrizes
Componentes de uma matriz de energia
- fontes primárias: petróleo, água, gás natural, carvão, urânio, madeira, cana-de-açúcar, vento, luz solar, lixo, resíduos agrícolas, entre outros.
- Energéticos secundários – são extraídos dos primários: eletricidade, gasolina, óleo diesel, etanol, gás liquefeito de petróleo, gás metano de lixo.
- Setores de consumo – residências, industrias, comércio, transportes, agricultura
- Matriz renovável – é a soma dos recursos primários ou secundários de que podemos, em princípio, dispor sempre, como água, o vento, a madeira, os combustíveis vegetais (como etanol, biodiesel, carvão vegetal), o gás produzido por biomassa e o lixo.
- Matriz não renovável – é a soma dos recursos que se esgotarão com o uso, como petróleo e sem gás, carvão mineral e gás natural de jazidas.
Produção e consumo sustentável
Se levarmos em conta que o consumo de certos combustíveis causa danos ambientais, como a queima de madeira, e que por isso corremos o risco de não poder mais usá-los ou ter de diminuir muito o uso deles, não basta que simplesmente os combustíveis sejam renováveis para que sua utilização seja sustentável. Assim, é preciso planejar a matriz de forma a garantir fornecimento e consumo equilibrados e adequados para a sociedade no longo prazo.

Para saber mais: atualidades vestibular – primeiro semestre 2011 –editora Abril

Nenhum comentário:

Postar um comentário